Tagged: loja

Loge Nationale de Recherche Villard de Honnecourt

Já foi referenciada neste blogue a principal Loja de Investigação da Grande Loja Unida de Inglaterra (UGLE), a Loja Quatuor Coronati. Agora é a vez de dar conta da principal Loja de Investigação da Grande Loja Nacional Francesa, a Loge Nationale de Recherche Villard de Honnecourt, n.º 81 daquela Obediência...

A Internet Lodge

A Maçonaria Britânica é, sem dúvida, um evidente exemplo do respeito pela Tradição. Foi em Inglaterra que se estabeleceram os princípios enformadores da Maçonaria Especulativa Regular. É em Inglaterra que funciona a mais antiga e respeitada Loja de Investigação Maçónica, a Quatuor Coronati, que, em especial na investigação histórica, constitui...

Vigilantes

Anéis de 1.º e de 2.º Vigilante, com as iniciais das designações em língua inglesa: Senior Warden e Junior Warden)     Os membros das Lojas Maçónicas estão divididos em três categorias, Aprendiz, Companheiro e Mestre, segundo a sua antiguidade e a sua evolução na tarefa de auto-aperfeiçoamento que constitui...

As Lojas e a Grande Loja: conceção simbiótica

Expus em dois dos últimos textos as conceções polarizadas que podem existir nas relações entre as Lojas maçónicas e a respetiva Grande Loja ou respetivo Grande Oriente, essencialmente a que dá prevalência àquelas sobre esta ou este e a que assenta no pressuposto precisamente contrário. Efetuei, ainda que brevemente, a...

As Lojas e a Grande Loja: conceção centralista – e sua crítica

A Maçonaria só se estabeleceu, expandiu e evoluiu a partir da criação de Grandes Lojas. O relacionamento internacional faz-se entre Grandes Lojas e ou Grandes Orientes, não diretamente entre Lojas. A estrutura logística de funcionamento e de reunião é assegurada pelas Grandes Lojas e são estas quem efetua a coordenação...

As Lojas e a Grande Loja: conceção basista – e sua crítica

Em 24 de junho de 1717, quatro Lojas maçónicas londrinas reunidas na taberna Goose and Gridiron decidiram associar-se numa Grande Loja e eleger um Grão-Mestre que a todos os seus obreiros representasse. Foi assim que, em síntese, James Anderson registou o nascimento da primeira Grande Loja macónica, hoje normalmente designada...

Da ilusória natureza do Poder em Maçonaria

Na Loja Mestre Affonso Domingues, fora de religião e política, tudo é suscetível de ser discutido e tudo se discute, por vezes acaloradamente. Mas, até hoje, há algo a que a Loja teve o bom-senso de nunca se sujeitar: uma pugna eleitoral. Na nossa Loja, desde há muito que é...

Respeitável Loja Mestre Affonso Domingues, n.º 5

Cada Loja é um mundo particular. No que tem de bom e no que que tem de menos interessante. A Loja Mestre Affonso Domingues não foge à regra. Uma das suas características é que no seu seio tudo (tudo não: religião e política estão excluídas) pode ser debatido. E o...

Os senadores

Esta é uma denominação ou classificação que não existe em Maçonaria. Coloquialmente, é uma expressão que, na nossa Loja, é usada para referir os elementos mais antigos dela. Dir-se-ia que é uma expressão desnecessária, que pode muito bem referir-se o mesmo grupo simplesmente como Mestres Instalados. Mas, em bom rigor,...

O obreiro e o Grande Oficial

Sempre que um obreiro de uma Loja é eleito ou designado Grande Oficial é uma satisfação para essa sua Loja e os que a integram. Para além do mais, é um reconhecimento do valor do obreiro e esse resulta também do trabalho da Loja. Mas, assim sendo, devem ambos, obreiro...

A crise da Loja

Li já há algum tempo que um maçom americano, académico, efetuou um estudo sobre a Maçonaria europeia e as suas Lojas, tendo concluído, além do mais, que as Lojas maçónicas europeias, independentemente da respetivas Obediências e ritos praticados, tinham tendência a atravessar crises significativas a intervalos entre cerca de 25...

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish