Vigésimo nono V:.M:. – Rui Bandeira

Partilhe este Artigo:

RLMAD

No 29º Veneralato os Obreiros da RLMAD não puderam dar continuidade ao processo de escolha do seu V∴ M∴ seguindo o sistema habitual da Loja instituído há muitos anos.

Este tema da eleição do V∴ M∴ na RLMAD já foi aqui abordado e explicado há algum tempo (Ler AQUI) e sempre se confirmou ser um bom processo, dele resultando sempre o V∴ M∴ adequado e preparado para a função.

Porém desta vez as coisas não correram de forma tão linear quanto é habitual. Na verdade e em sequência das divergências de interpretação de algumas decisões da Loja em exercícios anteriores, o Obreiro Mestre que estava na linha de sucessão para a candidatura entendeu que devia recusar esse direito e afastar-se da Loja abrindo assim uma situação de rotura nos procedimentos habituais da RLMAD.

A Loja ficou desta forma face a uma situação de dificuldade operativa inesperada e que se somava à tensão existente entre obreiros com entendimentos diferentes sobre decisões anteriores.

O circunstancialismo da situação fez com que os mais antigos Mestres da Loja, reconhecidos como suportes da tradição dos trabalhos e da sua filosofia (ao fim e ao cabo foram eles os construtores da RLMAD tal como ela é)  entendessem que seria bom fazer um intervalo na linha de sucessão e tentar retomar os trabalhos com a regularidade tradicional, resolvendo por um lado as divergências existentes e regressando à linha de desenvolvimento da Loja, que tão bons resultados tem dado, de resto reconhecidos por todas as Lojas Irmãs como exemplo de boa Maçonaria.

Desta forma como 29º Venerável Mestre ocupou a cadeira de Salomão o Irmão Rui Bandeira, bem conhecido escriba deste sítio, e seu principal alimentador.

O Irmão Rui Bandeira foi eleito regularmente como 29º V∴ M∴ da R∴ L∴ M∴ Affonso Domingues como um dos mais antigos, dos mais experientes e sabedores obreiros da Loja. Durante os dois Veneralatos anteriores a RLMAD passou por um período especialmente conturbado, resultado de sensibilidades diferentes que resultaram em diferentes interpretações de decisões tomadas atempadamente e regularmente pela Loja.

Sem ser desejada, acabou por se tornar inevitável a saída de vários obreiros que acabou por resultar no levantamento de colunas de uma nova Loja, significando enfim que a RLMAD dava origem a mais um núcleo maçónico dentro da nossa respeitável Ordem.

O V∴ M∴ anterior apanhou com um turbilhão de desencontros de opinião e coube ao Rui restabelecer em definitivo a velocidade de cruzeiro no percurso da RLMAD. A sua sabedoria, experiência e bom senso foram escolhidos pela Loja para “assentar a poeira” dos ventos diferenciados que tinham soprado nos últimos anos.

Com calma, com segurança e com suave firmeza  a Loja retomou a sua vida diária, com a elaboração do trabalho maçónico, regular.

As divergências restantes foram sendo resolvidas e como se esperava no final do Veneralato a Loja regressara à sua vida normal, com os trabalhos a serem desenvolvidos regularmente.

Dizer que o Irmão Rui Bandeira refundou, neste Veneralato, a RLMAD é obviamente um exagero, mas que a fez regressar ao trabalho com a comunidade dos seus Obreiros mais unidos e focados no interesse geral da loja, parece-me indesmentível

J. P. Setúbal

Publicado no Blog A Partir Pedra em 2 de Outubro de 2021

Partilhe este Artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish