Segredo Maçónico

Segredo MaçónicoSegredo Maçónico

Venerável Mestre e a todos os meus irmãos em todos os graus e qualidades.

Décimo primeiro landmark: “Os maçons contribuem pelo exemplo activo do seu comportamento são, viril e digno, para o irradiar da Ordem no respeito do segredo maçónico

Sabemos que o “segredo maçónico” nunca teve a intenção de encobrir tramas ou actividades ilegais e, hoje, limita-se aos rituais internos, à interpretação dos símbolos e, principalmente, aos sinais de reconhecimento que a não serem secretos, não o seriam. Sobretudo, a opção pelo sigilo, desde que não se preste à ocultação de ilegalidades, é um direito de cada instituição.

E quanto ao individuo? Ele, como maçon tem a liberdade de se dar a conhecer como tal mas, sob nenhuma circunstância, pode revelar a qualidade maçónica dos seus Irmãos; cada um tem a liberdade de se declarar, ou não, como tal. Não acatar este princípio é, sobretudo, não respeitar o outro.

Discrição, secretismo, sigilo, são palavras que reflectem as opções e/ou obrigações ajuramentadas de uma instituição e dos seus membros.

Contudo, o segredo, o verdadeiro segredo maçónico é de natureza única e individual e como tal, não pode, nunca, ser violado ou traído. Só é conhecido do maçon que o procura para o usar construtivamente, com sinceridade, fervor, lealdade, firmeza e perseverança no estudo e prática da Arte Real.

A maçonaria só se revela aos seus verdadeiros adeptos, aos que a ela aderem por inteiro, sem reservas mentais, para se tornarem verdadeiros maçons, construtores do Templo.

Isto é conseguido pela transposição de provas, as provas que são o meio pelas quais se manifesta o potencial espiritual latente na vida rotineira, as provas simbólicas iniciais e as posteriores do desânimo e decepção.

Quem se deixar vencer por elas, assim como aquele que ingressar na maçonaria com um espírito superficial, não ficará a conhecer aquilo que a Ordem encerra em si mesma, não conhecerá o seu propósito real e a força oculta que interiormente a anima.

A sua Verdade está escondida profundamente na terra. Só escavando, ou seja, procurando por baixo da aparência, podemos encontrá-la.

Quem passa pela maçonaria como se ela fosse uma sociedade ou clube qualquer não pode conhecê-la; isso só é possível permanecendo longamente, com fé, esforçando-se em tornar-se um verdadeiro maçon e reconhecendo o privilégio inerente a esta qualidade. A esses, a maçonaria revelará o seu tesouro oculto.

E como escreveu Fernando Pessoa:

“O verdadeiro segredo maçónico é o segredo da vida e não do ritual e do que se lhe relaciona”

Os graus maçónicos comunicam àqueles que os recebem, sabendo como recebê-los, um certo espírito, uma certa aceleração da vida, do entendimento e da intuição, que actua como uma espécie de chave mágica da própria vida.

É um espírito, um sopro posto na alma, e por conseguinte, pela sua natureza, incomunicável.

A bem da Ordem e desta Respeitável Loja.

Prancha de Autor não identificado – M:.M:. – R:.L:.M:.A:.D:. – Abril de 2004

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish