Carlos Antero Ferreira (24/2/1932-14/1/2017), maçom simples

Carlos Antero Ferreira

A imprensa divulgou a notícia do falecimento do professor Carlos Antero Ferreira, arquiteto, professor da Faculdade de Arquitetura de Lisboa, historiador, ensaísta, poeta, que foi Presidente do Centro Cultural de Belém, Presidente do Conselho de Administração e do Conselho Diretivo da Fundação das Descobertas, depois de ter sido Presidente do Instituto Português do Património Cultural, mais tarde Instituto Português do Património Arquitetónico e Arqueológico.

A imprensa informou também que Carlos Antero Ferreira foi responsável pela transformação do Departamento de Arquitetura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa, hoje integrada na Universidade de Lisboa, e que recebeu vários galardões e distinções e escreveu mais de duzentos títulos, entre livros de divulgação, ensaios e poesia.

Carlos Antero Ferreira foi, reconhecidamente, um homem que fez coisas importantes e, a nível académico, da gestão do património e da cultura foi, indubitavelmente, importante.

Para nós, na Loja Mestre Affonso Domigues, porém, foi apenas o Carlos Antero, um homem afável, culto mas, sobretudo, com uma postura e um comportamento sempre extremamente simples. Entre nós nunca tivemos o insigne professor. Tivemos um irmão que ouvia, sorria e calmamente também contribuia com a sua opinião e os seus conhecimentos. Nunca tivemos o responsável pelo CCB. Tivemos um irmão que semple elegeu a simplicidade como forma de relacionamento com os demais elementos da Loja.

Para nós, o Carlos Antero foi um obreiro muito importante da Loja, precisamente porque, sendo importante na sua vida profissional, nunca quis tentar transferir essa importância para o interior da Loja ou para o seu relacionamento para os demais de nós. Para nós, o Carlos Antero foi sempre o irmão solidário, o amigo simples e sincero, com quem partilhávamos conversas e projetos e dúvidas e certezas. Estar numa roda a conversar com ele era como estar numa agradável tertúlia.

Claro que o Carlos Antero foi um profissional de mão-cheia. Claro que foi um homem extremamente culto e sabedor. Mas (talvez por isso mesmo) nunca alardeou a sua superioridade em vários campos do saber. Pelo contrário, sempre se integrou naturalmente no meio de nós e, com isso, provavelmente foi um muito mais eficaz transmissor de conhecimentos do que se arvorasse a postura do Professor que era.

A sociedade portuguesa tomou conhecimento através da imprensa do falecimento do Professor Carlos Antero Ferreira. Nós soubemos que o Carlos Antero passou ao Oriente Eterno. E passamos nós a recordá-lo como um Irmão e amigo que fez da simplicidade a ferramenta para, trabalhando no seu próprio progresso, ajudar os demais da Loja a progredir ética e espiritualmente.

Carlos Antero: tivemos muita honrta em te ter como um de nós. Fica-nos a recordação da tua figura e da tua postura simples e serena. Afinal, nós recordamos sempre o que é mais importante…

Rui Bandeira
Publicado no Blog “A partir pedra” em 23 janeiro 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish