Gerald Ford – a Passagem ao Oriente Eterno

Não entrarei em méritos políticos, não é esse o assunto de hoje.

Gerald Ford era maçon. Iniciado em 1949 chegou a Mestre em 1951, tendo depois sido sucessivamente elevado nos graus filosoficos do Rito Escoces Antigo e Aceite ( REAA), chegando ao grau 33 – o mais alto deste Rito em 1962.

Estes dados e mais alguns poderão ser lidos na pagina da Grande Loja da California aqui.

O passamento em linguagem Maçonica é chamado de Passagem ao Oriente Eterno, numa clara alusão à passagem de grau e a entrada num local sem tempo regido pela eternidade, seja ele Paraiso ou outra coisa que as religioes comuns lhe chamem.

Ser Maçon não é incompativel com o desempenho das mais altas e importantes responsabilidades politicas, sociais ou outras. Ser Maçon é estar melhor preparado para o desempenho dessas funções.

A Maçonaria enquanto fraternidade Universal fica assim mais pobre com a perda deste ilustre Irmão que durante o seu tempo contribuiu para o desenvolvimento deste Mundo.

À sua Loja de Origem, sua Loja actual e evidentemente a toda a sua familia os nossos respeitos.

JoseSR

Publicado no Blog “A partir pedra” em 01 janeiro 2007

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish